Homem da Meia-Noite exalta a 'Voz do Morro' no carnaval 2019
30/12/2019 21:26 em Carnaval 2019

 

A representatividade e a cultura dos morros do Grande Recife constroem o tema do desfile do Clube de Alegoria e Crítica O Homem da Meia-Noite para o carnaval 2019: "A voz do morro". O tema foi divulgado junto com detalhes da roupa do calunga para a folia e os homeageados.

 

Durante as festividades de momo, o calunga ícone do carnaval de Olinda homenageia a banda Patusco, presente no carnaval de Olinda há mais de 50 anos; a cantora Lia de Itamaracá, reconhecida como Patrimônio Vivo de Pernambuco; e o cantor, percussionista e dançarino Lucas dos Prazeres, nascido e criado no Morro da Conceição.

 

"Lucas representa a resistência do Morro da Conceição. Trazemos também a resistência paraiera de Lia de Itamaracá, essa rainha da ciranda pernambucana. E trazemos a linguagem jovem da periferia de Olinda, que faz estremecer as ladeiras: o Patusco. São os homenageados do Homem da Meia-Noite", detalha o presidente.

 

Com o tema deste ano, explica o presidente Luiz Adolpho, a agremiação busca ser porta voz do povo do morro, da alegria, diversidade e cultura presente nessas áreas, que são casa de mais de um terço da população da Região Metropolitana do Recife.

 

"A gente vem com um tema muito especial. A gente traz uma linguagem que possibilita, acima de tudo, o direito à liberdade e expressão, para que a gente possa viver em um mundo melhor. O morro é a voz de todos nós", afirma o presidente.

 

Figurino

Para costurar a roupa que o Homem da Meia-Noite vai usar no carnaval de 2019 foram eleitas figurinistas com ligação direta com os morros e suas culturas. "Temos três jovens estilistas pernambucanas. Elas já me disseram que ele vem diferente, expressando vida, que é o nosso tema", adianta Luiz Adolpho. (Veja vídeo acima)

 

Durante a coletiva o trio apresentou a gravata e os botões que vão compor o figurino. Retomando as cores originais do calunga, o verde e o branco, as peças também contam com brilho e pedrarias. Para o fraque e a cartola, o trio promete uma roupa carregada de sentimentos e características que remetam à "Voz do Morro".

 

Formada em designer de moda e empreendedora, Maria Alice, de 22 anos, é uma das responsáveis pela missão de vestir o calunga. Nascida e criada no Monte, em Olinda, a figurinista leva traços da cultura local em suas criações.

 

A segunda integrante dessa equipe é Rafaela Cristina, que é estilista e idealizadora de uma marca autoral que valoriza a alegria do povo pernambucano. Ela também cresceu no Monte e hoje mora no bairro do Carmo. A terceira estilista que vai compor a grife do Homem da Meia-Noite é a empreendedora social Jéssica Silva, que também é moradora do Xambá, em Olinda.

Esculturas

Espalhando o tema por diferentes locais de Olinda e Recife, até o dia da saída oficial do calunga, no sábado de Zé Pereira, o clube vai inaugurar seis esculturas do Homem da Meia-Noite em diferentes pontos das cidades irmãs, elaboradas por artistas pernambucanos.

 

Confira o calendário de inauguração das obras:

 

8/1: Sede do Homem da Meia-Noite, às 19h - Artista: Vila Nova (acompanhado do Boi da Macuca)

19/1: Comunidade de Xambá, às 19h - Artistas: membros da comunidade

24/1: Marco Zero, às 19h - Artista: Silvio Botelho

 

 

Fonte: g1.globo.com/pe

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!